Detalhes sobre a foto, projeto e materiais.

Ambiente Idélli projetado pela MJ Arquitetura |
Foto: Frederico De Mário
Padrões Idélli: Gianduia
Publicação Cobogó: Junho/2017

Luxo, requinte ou minimalismo, o conforto de acordo com o estilo de cada um.

Categoria: Matérias Revista Cobogó

Luxo e requinte não são antíteses do minimalismo, mas é possível conciliá-los?

No minimalismo se utiliza o bordão: “menos é mais”, porém isso não quer dizer que mesmo tendo “menos”, ou o necessário sem grandes excessos, significaria que esse “menos” não possa ser luxuoso, requintado ou sofisticado, até porque na sofisticação também encontramos muita simplicidade, como por exemplo, quem não trocaria muitos equipamentos eletrônicos por um só, que fizesse a função de todos os outros?

Há pessoas que gostam do luxo, outras preferem algo mais simples ou que remeta à ideia de natureza ou coisas naturais. O fato é que não existe melhor ou pior, certo ou errado, apenas o que está no seu lugar ou fora dele, então o que estiver em seu lugar estará melhor aos nossos olhos, e a nossa casa, nosso carro, nossa forma de nos vestirmos, deve corresponder com o que gostamos e automaticamente, como somos.

O nosso interior, psicologicamente falando, vai refletir em nossos atos e escolhas quem somos, nos levando à hábitos em nossa vida e à relacionamentos que correspondam ao que pensamos e sentimos, seja de forma consciente ou inconsciente. Sempre buscaremos lugares, pessoas e coisas que nos agradem, refletindo exteriormente um complexo número de informações que revelarão aos demais os nossos gostos e anseios.

Quem investe na construção de um imóvel de muitos metros quadrados, com alto padrão de acabamento, também irá desejar mobiliar e decorar no mesmo padrão, pois sabe que perderá dinheiro “recheando” o interior de uma bela casa com móveis que não sejam primorosos, já que todo o investimento terá que ter o mesmo contexto, para que no momento de uma possível venda, possa alcançar um comprador que tenha um excelente gosto, e queira colocar o seu dinheiro em algo coerente.

Da mesma forma, seja minimalista com muito ou pouco luxo, tudo tem que estar dentro de uma mesma coerência, pois o exterior e o interior de uma casa, deve corresponder ao interior de seu morador, deve ser o reflexo psicológico de seus habitantes, para que cada coisa esteja no seu lugar, e dessa forma precisamos definir o que gostamos, o que somos, ou quem pretendemos nos tornar, pois são as nossas escolhas que nos transformam e ao que nos cerca.

Se vamos nos tornando simples em nossos conceitos, se vivemos com o que precisamos, sem excessos, sem desperdícios, então estamos no caminho do minimalismo, mesmo que vivamos em uma casa grande, desde que todo esse espaço também possa servir aos nossos familiares e amigos, não será um excesso.

No final das contas, sempre nos cercaremos do que já consideramos bom, agradável e importante dentro de nós, então devemos buscar sempre o que nos agrada e que esteja ao nosso alcance, na medida certa, porque às vezes conseguiremos comprar menos com maior qualidade pelo mesmo investimento. Porém há luxos que não podemos abrir mão de ter ou de ser, a felicidade é um desses, e está muito perto: bem dentro de nós mesmos.

Detalhes sobre a foto, projeto e materiais.


Ambiente Idélli projetado pela MJ Arquitetura |
Foto: Frederico De Mário
Padrões Idélli: Gianduia
Publicação Cobogó: Junho/2017

Valdenei Menon

Valdenei Menon

Há mais de 24 anos trabalhando com móveis planejados, já executou todas as funções do processo produtivo e criativo do ramo, e formou-se na área de administração de empresas. Há 7 anos atua como empresário, sendo o idealizador e administrador da Expertise Designers Ambientes Planejados, loja franqueada Idélli Ambientes em Ponta Grossa, no Paraná.

TODOS OS POSTS

Deixe uma resposta

A Idelli contribui expandindo o conhecimento, para uma profissionalização cada vez maior do mercado.

 Inscreva-se para receber as novidades do Blog por email :